A área de Operações Legais — também conhecida como Legal Operations e Legal Ops — está em ascensão no Direito. Ela reúne um conjunto de ferramentas administrativas, gerenciais, tecnológicas, operacionais e acadêmicas, com o propósito de tornar o exercício da advocacia mais ágil e efetivo, resultando na otimização dos recursos e na transformação digital dos escritórios e departamentos jurídicos.

Enquanto oferece oportunidades profissionais (e não só para advogados), ela também promete e entrega ganhos quali e quantitativos para as empresas. Curioso? Saiba como as Operações Legais funcionam na prática.

O impacto das Operações Legais

Um dos benefícios mais citados na criação ou organização de uma área de Operações Legais é a liberação dos advogados para a execução de atividades técnicas inerentes à advocacia — deixando a série de outras demandas de suporte concentradas na nova área sob processos e ferramentas que visam a agilidade

E desse benefício se desdobram outros: a nova organização de atividades, em processos mais eficientes e utilizando ferramentas de automação, otimiza recursos financeiros e aprimora a gestão do conhecimento humano, resultando em uma melhor entrega de valor aos clientes e maior rentabilidade ao negócio.

BAIXE GRÁTIS: ebook Operações Legais: sinergia e estratégia aplicada aos serviços jurídicos.

Além disso, ao atuar sob os pilares da Gestão, Tecnologia e Dados, as Operações Legais incluem em seu escopo também atividades de planejamento estratégico, gestão e desenvolvimento de ferramentas, assim como o tratamento de dados para a tomada de decisão. A inovação flui!

A organização da área de Operações Legais

Operações Legais é uma área de atuação transversal e composição multidisciplinar. Por isso, seus profissionais têm grande necessidade de alinhamento com os demais setores da empresa para garantir que todos estão trabalhando de forma sincronizada, principalmente TI, Financeiro e Gente & Gestão.

Um dos principais pontos de sucesso na construção de um time de Operações Legais, que pode ter várias estruturas possíveis, é o apoio e o suporte integral do Conselho de alta gestão, com o objetivo de empoderar a equipe para tomar decisões estratégicas sobre o time jurídico.

Em relação ao escopo de atuação, a Corporate Legal Operations Consortium (CLOC), uma comunidade global de especialistas em negócios jurídicos, criou o CORE 12 — um guia para a excelência operacional em temas estratégicos dentro da área de Operações Legais, que separou em 12 grandes frentes: 

  • Inteligência de Mercado: para tomar melhores decisões por meio de dados
  • Gestão Financeira: para maximizar os recursos
  • Gestão de Fornecedores: para desenvolver relacionamentos com fornecedores que agregam valor à empresa
  • Governança da Informação: para projetar políticas apropriadas ao negócio e que minimizem os riscos
  • Gestão do Conhecimento: para potencializar o conhecimento acumulado na empresa
  • Inovação e Sustentabilidade: para construir equipes eficazes e motivadas
  • Operações: para liberar sua equipe jurídica para focar nas atividades que realmente importam
  • Gestão de Projetos: para apoiar programas e iniciativas especiais
  • Gestão de Serviços: para combinar demandas e recursos
  • Planejamento Estratégico: para priorizar as metas certas
  • Tecnologia: para inovar, automatizar e resolver problemas com tecnologia
  • Treinamento e Desenvolvimento: para apoiar a equipe com formações direcionadas

A excelência operacional está no centro dos objetivos das Operações Legais e para isso deve priorizar frentes na CLOC CORE 12, a partir das características e metas de cada empresa. 

É esperado que, a partir da maturidade empresarial, a área de Operações Legais incorpore gradualmente mais atividade e alargue seu escopo, solidificando em toda empresa o valor da melhoria constante.

Você está pronto para essa transformação?

Direitos autorais © 2022 • Todos os direitos reservados para Nau d´Dês

Design by

Direitos autorais © 2022 • Todos os direitos reservados para Nau d´Dês


Design by